“Por  mais de trinta anos  vivendo na Europa, Fabio Luz  distingue-se  como um dos pianistas brasileiros mais completos e mais apreciados nas várias nações onde desenvolve a sua atividade concertística e didática. Foi durante dez anos diretor artístico do Instituto Verdi da cidade de Asti.” Musica in piemonte, edt, 2013, pag. 51.

Considerado pela crítica internacional como um dos melhores intérpretes da sua geração,  membro do júri de importantes concursos internacionais, dentre os quais os de Hamburgo (2013), Genebra, Casale Monferrato -“Soliva”, Lagonegro, o de Composição  ICOMS de Turim, etc., Fabio Luz atuou sob a regência de  Ligia Amadio (com a Orquestra Sinfônica Nacional) no 3º Concerto de Villani-Côrtes), Guilherme Bernstein (no Concerto em sol de Ravel no 2º de Rachmaninoff com a Orquestra Sinfônica de Barra Mansa – Rio de Janeiro, Mozart com a Orquestra Sinfônica da Unirio - Sala Cecília Meirelles - abril de 2017)), além de Baciu, Conta, Oschanitzky, Celibidache, von Abel, Peyretti, Farias, Real, Ostergren, Andreescu, Nanut, João Maurício Galindo (Ravel - en sol, Mozart K466 - Tatuì 2014, 2017), Mathauser, Noheil,Semolini, Dênis Vieira, em recitais e concertos no “Teatro Regio”, no Auditorium RAI, no “Circolo degli Artisti” e no Conservatorio “Verdi” de Turim, nos Festivais “Piemonte in Musica”“Torino Settembre Musica”, junto à Società del Quartetto di Bergamo, na Bienal de Veneza, na Villa Medici “Il Vascello” em Roma, no Conservatório de Bern, no Festival de Konstanz, no Gasteig de Munique (Sala Carl Orff), no Teatro São Carlos de Lisboa, no Lisinsky de Zagreb, etc., além de quase todas as mais importantes salas de concerto brasileiras, de norte a sul, contando cerca de mil concertos realizados. Recentemente apresentou-se na Musikschule Konstanz, no Pianofest de Hamburgo, na série Fazioli – La Gioiosa Musa em Treviso, na Sala Jardel Filho – Centro Cultural São Paulo, no Auditorio Orpheus de Turim, na Sociedade de Eubiose em São Paulo e no Conservatório de Tatuí – Teatro Procópio Ferreira.

Seu imenso repertório compreende as obras integrais de Debussy, Ravel - ele é Mestre em Música Francesa pela Université Musicale Internationale de Paris . No Brasil sua discografia é produzida pela L’Art– Rio de Janeiro, e seu último CD è dedicado aos 4  Scherzos e  4 Improvisos de Chopin, reeditado na Itália em 2009. Vittorio Viggiano Editore publicou de Fábio Luz o Álbum para a juventude“Il Giardino degli Angeli”, e ainda em 2010 uma coletânea de Doze peças célebres transcritas por ele para piano solo.

Desde o Primeiro Prêmio do Concurso Nacional da Bahia em 1977, seguido do Prix International Debussy na França em 1978, ao mais recente Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte – “Melhor Recital do Ano”, grande  parte de sua atividade tem sido dedicada à divulgação de obras de autores contemporâneos (Almeida Prado, Dusan Bogdanovic, Claudio Gregorat, Osvaldo Lacerda, Nílson Lombardi, Willy Merz, Michel Philippot, Marcus Siqueira, Edmundo Villani-Côrtes …) muitas das quais são escritas para ele e cuja análise tem sido tema de conferências, seminários e master classes na Europa, nos Estados Unidos e no Brasil – ele é professor regularmente convidado pelas universidades de São Paulo (USP, UNESP, UNICAMP), Curitiba (Universidade Positivo), Rio de Janeiro (Escola de Música da UFRJ), Kansas, Iowa, Freiburg, Turim, etc. De 2003 a 2011 suas master classes tiveram lugar  no Castello di Cortanze (Italia). A partir de agosto de 2013 seu curso de aperfeiçoamento e excelência em piano tem lugar no âmbito do Festival del Golfo de San Marco di Castellabate (Salerno). Coordenador a partir de 2006 do departamento de piano da Escola Superior “Città della Musica e del Teatro” em Penne (Pescara) é desde 2010 presidente da  Fundação Franz Liszt, com sede na França.